quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A dança das estrelas




Se há coisa que é prática obrigatória cá em casa é observar as estrelas 'a olho nu'. Chamamos de cinema celestial. Do janelão do nosso quarto no sotão, luzes apagadas e quando a penumbra se vai, começa a dança das estrelas. Sim porque se repararem, nunca vemos as mesmas, aliás vemos estrelas diferentes a horas diferentes e em posições diferentes também. Claro que não são as estrelas que mexem mas a terra nos seus movimentos de rotação e translação.

A URSA MAIOR é a mais facil de encontrar; 4 estrelas visiveis formando um grande quadrado com uma cauda de 3. Perto dela e igual a ela mas mais pequena e no sentido inverso, encontramos a URSA MENOR com a particularidade de ter como ultima estrela na sua cauda a estrela POLARIS, ou estrela do Norte. Esta indica o Polo Norte. Muito perto desta no lado oposto da URSA MAIOR encontramos a CASSIOPEIA ou o W ou M depende da perspectiva, ela é bem vizivel nas noites amenas de Outono.

Passemos agora à constelação ORION, para melhor identificarmos devemos procurar as 3 MARIAS, 3 estrelas muito próximas entre si. Elas formam o cinturão de ORION e acima delas 4 estrelas que formam um TRAPEZIO, localizam-se portanto a meio da constelação. Esta constelação encanta especialmente pela sua lenda associada : Quando Artemis , deusa grega da caça atinge mortalmente por engano Orion, ficou tão infeliz que colocou o corpo do seu amado no céu. Este ergue um bastão e um escudo que enfrenta um TOURO - a constelação vizinha com o mesmo nome. Rodeia-se dos seus cães: CAO MAIOR E CAO MENOR - constelações com o mesmo nome. É uma boa maneira de perceber a figura da constelação ORION e identificar as constelações próximas.

E por ora já temos muito com que nos entreter. Boa noite e bom cinema celestial !!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Seja mágico!!